Andava eu nas minhas andanças quando recebi um telefonema de uma senhora que queria casar. Pela postura e tom de voz percebi logo que não se tratava de uma jovem sonhadora, mas de alguém já experiente na matéria. Se dúvidas houvessem, pela prontidão que me disse “já sou velha mas quero casar”, fiquei logo esclarecida que não havia lugar para grandes surpresas, estava tudo desenhado pela própria e as instruções foram prontamente passadas.

A T. e o A. estavam a embarcar numa segunda viagem mas queriam, naturalmente, uma festa linda com tudo a que um casal de noivos tem direito no dia do seu casamento: REQUINTE, COORDENAÇÃO e BOA COMIDA. Entendemos-nos facilmente porque os gostos da T. e do A. eram claros e tinham uma fórmula fácil: simplicidade + elegância.

Mostraram a todos os presentes que não há idade certa para casar. Que depois dos 40, a noiva ainda pode deslumbrar, como a T. o conseguiu e que o noivo ainda se destaca dos seus pares.

Quanto à decoração, os materiais escolhidos para a festa foram a madeira, as serapilheiras e os alinhados. As cores terra e o rústico marcaram o ambiente e a felicidade dos noivos a atmosfera de um dia muito bem passado.

As imagens falam por si, com materiais simples mas carregados de significado, “desenhámos” um casamento “romântico rústico” que não podia ter estado mais próximo da personalidade da T. e do A.

Aos dois, um agradecimento pela confiança que me depositaram e votos de muito amor pela vida fora.

MM

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *